Constituintes de frase.png
Funcoes sintaticas.png

PRONOMES


http://www.resumos.net/files/ospronomes.pdf

Exercícios

CRUZADAS

Exercícios

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

Léxico - Substantivos
//QUEM É QUEM?//* ONOMATOPEIAS
Frase simples e frase complexaA frase pode ser constituída por uma ou mais orações. Uma oração é a unidade gramatical organizada à volta de um verbo.
Frase simples é aquela que é constituída por uma única oração, contendo, portanto, um só verbo conjugado (apresenta, assim, apenas um sujeito e um predicado).
Ex.: Os meus pais oferecem-me muitos livros. Frase simples ou oração (um só verbo conjugado)
Frase complexaé aquela que é constituída por duas ou mais orações. Apresenta, portanto, mais do que um predicado e muitas vezes mais do que um sujeito.
Ex.: Os meus pais oferecem-me muitos livros porque eu gosto muito de ler. Frase complexa ( dois verbos conjugados)
Há duas maneiras de organizar as orações na frase complexa: acoordenaçãoe asubordinação.

Coordenação/Orações coordenadas

Os meus pais saíram. Eu fiquei em casa a ler. Frase simples (oração independente) Frase simples (oração independente)
Estas duas frases simples e independentes podem ser transformadas numa frase complexa, estabelecendo-se entre elas uma relação de coordenação através de uma conjunção coordenativa.
Ex.: Os meus pais foram ao cinema, mas eu fiquei em casa a ler. Oração coordenada oração coordenada Conjunção coordenativa
Como verificas, as orações coordenadas não dependem umas das outras; podem, por isso, separar-se e constituir orações independentes. As orações coordenadas podem ser copulativas, adversativas, disjuntivas e conclusivas conforme a conjunção coordenativa que as liga.
Subordinação / Orações subordinadas
Ex.: Os meus pais foram ao cinema quando acabaram de jantar. Oração subordinante oração subordinada temporal
Os meus pais foram ao cinema porque queriam distrair-se Oração subordinante oração subordinada causal
Como verificas, as orações quando acabaram de jantar e porque queriam distrair-se apenas podem ocorrer em articulação com a oração principal ou subordinante.
As orações subordinadas podem ser temporais, causais, finais, etc., conforme a conjunção subordinativa que as introduz.

As conjunções são palavras invariáveis que servem para articular/ligar frases ou elementos semelhantes da mesma frase.
Há dois tipos de conjunções:coordenativase subordinativas.Conjunções coordenativas– ligam dois elementos semelhantes da mesma frase ou duas frases da mesma natureza, independentes gramaticalmente mas entre as quais existe uma relação.Ex. :Alguns rapazes e algumas raparigas foram ao cinema.Hoje foram ao cinema, mas amanhã vão ao teatro.
Conjunções subordinativas– ligam duas frases, uma das quais está subordinada, ou seja, depende de outra. As conjunções subordinativas introduzem as frases subordinadas.Ex. :Quando saíram, foram ao cinema.
SUBORDINATIVAS
||
CONJUNÇÕES
||
LOCUÇÕES
||
Causais
porque, pois, porquanto, como (= porque),que ( = porque)
visto que, pois que, já que, por isso que , por isso mesmo que
Temporais
quando, enquanto, mal, apenas, que
antes que, depois que, logo que, assim que, desde que, até que, primeiro que, sempre que, todas as vezes que, tanto que, à medida que, ao passo que
Finais
que ( = para que)
para que, a fim de que



Para além destas conjunções subordinativas, há ainda as subordinativas concessivas, consecutivas, comparativas eintegrantesque serão estudadas mais tarde.Conjunções e advérbios
ADVÉRBIOS
OsAdvérbiossão palavras que servem para determinar ou intensificar o sentido do verbo, do adjectivo ou de outro advérbio.

CONJUNÇÕES

Asconjunçõessão palavras invariáveis que servem para articular/ligar frases ou elementos semelhantes da mesma frase.Existem palavras que podem ser advérbios ou conjunções, tudo depende da sua função dentro da frase.
Logo: - conjunção coordenativa conclusiva; - advérbio circunstancial de tempo
Também : - conjunção coordenativa copulativa; - advérbio de inclusão;
Apenas: - conjunção subordinativa temporal; - advérbio de exclusão;
Quando: - conjunção subordinativa temporal; - advérbio interrogativo de tempo;
Como : - conjunção subordinativa causal; - advérbio interrogativo de modo;
Entretanto: - conjunção coordenativa adversativa; - advérbio circunstancial de tempo;
Porque: - conjunção subordinativa causal; - advérbio interrogativo de causa;
Mal: - conjunção subordinativa temporal; - advérbio circunstancial de modo;
http://www.prof2000.pt/users/lurdes_soa/conjun%C3%A7%C3%B5es-info.htm

OS SINAIS DE PONTUAÇÃO:

Permitem reproduzir, no texto escrito, as pausas e a entoação da fala;* São indispensáveis à clareza do texto;
  • A ausência de pontuação ou a simples diferença ou deslocação dos sinais de pontuação podem pois, alterar totalmente o sentido das frases.
Ex. O João dizia: - O Bernardo é um preguiçoso, vai reprovar. E agora: - O Bernardo, dizia o Manel, é um preguiçoso, vai reprovar. ¤ No fim de cada frase: * O ponto final:.marca o fim de uma frase declarativa.
  • O ponto de interrogação:? indica a entoação e fazem-se com ele perguntas.
  • O ponto de exclamação: !reproduz o espanto, a admiração…
  • As reticências: …indicam uma frase incompleta ou que ainda há uma ideia em suspenso.
¤ No interior duma frase: A vírgula: ,transcreve uma pausa ligeira, separa elementos dentro da frase.* O ponto e vírgula:; pausa maior, mas não finaliza a ideia.
  • Os dois pontos::precedem uma citação, explicação… indicam a fala de alguém, formando parágrafo.
  • O travessão:-marca o início da fala das personagens. Entre dois travessões, surgem esclarecimentos, informações sobre o que acontece.
  • Os parênteses: ( ) também contêm esclarecimentos, precisões…
  • As aspas: « »indicam uma citação extraída de um livro, dum autor e, também o título duma obra.
http://www.prof2000.pt/users/lurdes_soa/menu.htm